O 15º Concurso Mundial de Bruxelas aconteceu dia 11 de Abril

Concours-Mondial-de-Bruxelles-2017-007

Concurso Mundial de Bruxelas 2017

Se você gosta de cachaça e outros destilados e é simpatizante desta bebida totalmente brasileira, com toda certeza na última semana você deve ter ouvido falar muito sobre a Edição Brasil do Concurso Mundial de Bruxelas, certo?

Para quem não sabe o concurso Mundial de Bruxelas tem como principal ambição oferecer aos amantes de vinho e destilados uma garantia: saber distinguir a qualidade destas bebidas e aguçar o verdadeiro prazer de consumo e degustação.

Em 20 anos de experiência o Concurso se tornou uma referência em matéria de competições internacionais de vinhos e destilados. Agora a ideia também é criar uma identidade internacional para a cachaça de alto padrão, abrindo novos mercados consumidores mundo afora para a mais brasileira de todas as bebidas.

O executivo de Bruxelas, Baudouin Havaux lamenta sua pouca disseminação pela Europa onde, acredita ele, há um vasto mercado potencial para o destilado de cana de açúcar feito no Brasil. O consumidor fora do país só vê a cachaça associada à caipirinha.

“A caipirinha é mesmo deliciosa, mas as cachaças envelhecidas também têm enorme potencial para competir com outros destilados, como o uísque e o brandy, por exemplo” – Baudouin Havaux.

A 15° edição do Concurso Mundial de Bruxelas aconteceu na terça-feira (11) passada. Nesta etapa local do importante concurso, foram degustadas 400 amostras de vinhos e 200 de cachaças.

O método para escolher as melhores e mais seletas bebidas, ocorre através de degustações às cegas. Sempre por um grupo seleto de especialistas de ambas as bebidas. Neste ano as degustações foram realizadas por um grupo de jurados que incluía, entre outros, o professor Cesar Adames e o presidente do Concurso Mundial de Bruxelas, Baudoin Havraux, que se mostrou impressionado com o aumento de rótulos de cachaça inscritos pelos produtores. O especialista Renato Frascino também fez parte da bancada.

As grandes premiadas com medalha Grande Ouro foram a Cachaça Bem Quer Prata, Cachaça Weber Haus Bálsamo, Cachaça Dom Tapparo Engenho Extra Premium., Cachaça Vitoriosa Extra Premium, Cachaça Heats Brazil Jequitibá, Itupeva Armazenada em Umburana, Cachaça Leandro Batista Envelhecida, Cachaça Weber Haus 7 Madeiras e Cachaça Reserva do Nosco Envelhecida Reserva Especial Carvalho Francês.

A Cachaça Taverna de Minas também colheu ótimos frutos na edição 2017 do Concurso Mundial de Bruxelas. Com grande alegria que parabenizamos nossos amigos. Para quem não sabe, a Taverna de Minas foi premiada com 1 medalha de Prata com a Jequitibá; 2 medalhas de Ouro com a Carvalho 24 meses e a Cipó da Serra; e 1 medalha Duplo Ouro com a Carvalho 12 meses.
Outras duas fortes cachaçarias também levaram medalha pra casa. A Coluninha com a cachaça Golden armazenada em Carvalho e Amburana; e a Gogó da Ema com a cachaça tradicional armazenada em Balsamo sagraram-se com a medalha de ouro.

Sabemos de toda a dedicação de todos os envolvidos na produção destas cachaças. Com esse grande reconhecimento a Taverna, Coluninha e Gogó da Ema se tornam uma das Cachaças mais reconhecidas do Brasil.

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar essas tags e atributos HTML:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>