Quem pensa que a produção de Cachaça começa no Alambique está completamente enganado. Já falamos aqui sobre a importância da escolha correta da variedade de cana-de-açúcar, do índice de maturação e do nível de acidez.

Você ainda tem dúvida de que uma cachaça de qualidade nasce no canavial?

Para ter uma lavoura eficiente é muito importante levar em conta a época do plantio mais adequada à sua variedade e região, análise e preparo do solo e a qualidade dos tipos de adubo e defensivos.

 

Como realizar o plantio da cana?

 

Para começar é importante que você já tenha escolhido a variedade da cana e a época de plantio. Nas regiões Sudeste, Sul e Centro-Oeste, as épocas tradicionalmente utilizadas são as de cana de ano e meio, cana de ano e de plantio fora da época normal.

A cana de ano e meio pode ser plantada de janeiro a abril e pode ser colhida em maio do ano seguinte. Uma vantagem da cana de ano e meio é que dependendo da região no início do plantio ela vai dar uma pequena brotação e vai passar o inverno em estado de dormência, no mês de outubro com a chegada da chuva a cana cresce rapidamente pois já está enraizada sendo assim a competição com o mato vai ser menor e consequentemente a necessidade de capina irá diminuir.

No caso da cana de ano, o plantio será realizado em outubro, sendo que a colheita já pode ser feita em outubro do ano seguinte e cachaça também poderá ser feita. Um das desvantagens da cana de ano é que ela tem uma necessidade maior de capina.

O plantio fora da época normal pode ser executado em outros períodos, nas regiões onde não há uma limitação de temperatura e quando se tem disponibilidade de água para irrigação e manutenção do canavial.

 

O preparo do solo

 

A  cana-de-açúcar não é uma cultura muito exigente, ela se adapta em diferentes tipos de solo, mesmo assim o bom preparo do mesmo através da aração e gradagem é fundamental para um melhor desenvolvimento da planta e também facilita os passos seguintes como sulcamento, adubação e tratos culturais.

Solos onde será plantado esse tipo de cultura necessita de uma boa drenagem. Por mais que a cana se adapte bem em vários tipos de solo, ela se desenvolve melhor em solos profundos, arenosos, com boa fertilidade e não muito úmidos.

Depois da aração e gradagem fazemos o sulco, a profundidade deve estar entre 20 e 30 centímetros para facilitar o enraizamento da cana evitando que ocorra o tombamento. Se você fizer o sulco com pouca profundidade é bem provável que a cana tombe.

Para fazer o espaçamento precisamos levar em consideração a região onde será plantada a cana, por exemplo, em regiões mais montanhosas as ruas devem ter um espaçamento de 1 metro, já em regiões mais planas o espaçamento deve ficar entre 1,20 a 1,40 metros.

O objetivo dos espaçamento entre as ruas é de que ao a cana crescer ela fecha e abafa o mato, isso acaba controlando o crescimento de ervas que podem prejudicar o desenvolvimento da cana.

 

 Técnicas de Plantio

 

Em um projeto bem elaborado, cada hectare plantado obterá 100 toneladas de cana-de-açúcar, nesse caso gastaríamos 10 toneladas. Por exemplo, em um projeto de 200.000 litros por ano, com uma área de 20 hectares (numa situação ideal de 100 toneladas por hectare), posso plantar 3 hectares e utilizar as mudas de 1 hectare para plantar o restante que preciso sem ter que comprar muitas mudas.

Uma técnica muito importante utilizada é o corte dos toletes. Depois de plantada a cana inteira, ela deve ser picada em cortes de três gemas, que são os chamados toletes, assim a cana não brotará só pelas pontas. A retirada da palha também é necessária para que as gemas não se machuquem e consequentemente ocorrerá uma maior brotação.

Por fim, basta cobrir os toletes com 5 a 10 centímetros de terra e realizar a compactação para promover melhor enraizamento e favorecer a emergência.

 

“ E quanto ao controle de ervas daninhas?”

 

Todo mundo sabe que as ervas daninhas prejudicam qualquer tipo de plantação e com a cana-de-açúcar também acontece, por ser muito sensível à ocorrência dessas ervas especialmente no início do seu desenvolvimento, é importante que o produtor faça uso da capina correta, e, dependendo do tipo da produção faça uso de defensivos para evitar que esse problema crie maiores prejuízos.

Uma solução interessante é utilizar um tipo de defensivo pré-emergente. Além de evitar que o mato cresça, esse defensivo é aplicado um ano antes da cana ser colhida, ou seja, é um tempo maior até a produção de cachaça. O consumidor agradece, pois o defensivo é aplicado muito antes do alimento (cana-de-açúcar) nascer.

 

“ Fiz o preparo do solo e apliquei o defensivo, minha cana tem tudo o que precisa para começar a crescer.”

 

Calma. Não podemos esquecer de um dos elementos mais importantes para que você tenha uma alta produtividade em seu canavial, a adubação.

A adubação no plantio deve ter uma um percentual menor de Nitrogênio e maior de Fósforo e Potássio, pois quando a cana é plantada ela ainda não possui raiz, que demora cerca de um mês para nascer, por isso o nitrogênio no início da adubação não tem muita utilidade, ele acaba sendo desperdiçado. Com efeito, o tipo de adubo que se usa para plantar é diferente do tipo de adubo que se usa para manter o canavial.

Para quem produz uma cachaça orgânica uma boa opção é a utilização do vinhoto, muito rico em potássio, podendo também ser utilizado na adubação da cana soca. Já que você precisa fazer o descarte do vinhoto acaba unindo sustentabilidade a um excelente tipo de adubo.

Não realizar a adubação correta na sua produção faz com que ela caia pela metade, um canavial que geralmente duraria cinco anos pode durar bem menos. Trabalhando bem você consegue fazer com que uma pequena área tenha uma alta produtividade, aumentando o rendimento industrial da sua cachaça e consequentemente sua lucratividade.

Se você é produtor ou produtora ou mesmo está iniciando, fique de olho nas dicas que o nosso parceiro Arnaldo do Cana Brasil dá nesse vídeo:

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

você pode usar essas tags e atributos HTML:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>