Digamos que, depois que você leu nossa publicação sobre os 4 motivos para você se tornar um produtor de cachaça, surgiu um interesse em abrir seu próprio alambique. Bem, o primeiro passo seria conhecer a produção da cachaça, o que pode ser feito a partir de uma visita a um alambique. Mas, para facilitar sua vida, nós trouxemos aqui um texto que resume todo o processo de produção da cachaça em 8 passos. Além disso, também vamos colocar, ao final da publicação, um vídeo produzido pelo Alambiques Santa Efigênia que demonstra a produção em formato 3D. Então vamos?

1. A cana de açúcar e a colheita:

caninha

Por ser uma planta tropical que cresce bem em temperaturas entre 18ºC a 35º, mas isso não quer dizer que você não deva se atentar às condições de solo e climáticas da região em que sua plantação se encontra, para que você possa tirar mais proveito de sua variedade. Aliás, existem diversas variedades de cana, como, por exemplo, a SP80-1842, RB85-5156, CTC-5, Java Amarela, dentre outras. Para saber mais sobre os tipos de variedades, clique aqui. Então, fique atento a qual delas se adaptará melhor à sua região.

Geralmente, a cana é colhida com brix (essa é a medida usada para demonstrar a quantidade de açúcar que existe na planta) entre 18 a 24.

A colheita pode ser feita por máquinas, ou à mão. No caso das máquinas, fique atento aos processos de higienização para que a cana não seja contaminada. Além disso, lembre-se de que a cana deve ser moída em, no máximo, 24 horas após ser recolhida.  

2. Moagem:

moenda

Nesta etapa, a garapa é extraída da cana e o bagaço é separado do caldo de cana.  

3. Filtragem

filtragem

Aqui o caldo é filtrado por uma peneira e por decantação, deixando para trás o bagacilho e quaisquer tipos de outros resíduos. Vale lembrar que esta etapa é de extrema importância uma vez que, qualquer elemento indesejável que seja mau filtrado e prossiga nas etapas seguintes pode prejudicar a qualidade do produto final. .

4. Redução do Brix:

brix

Após a filtragem, chega a hora de reduzir o brix da cana. Para isso, basta adicionar água ao caldo de cana. Geralmente, o brix vai de 20-24 para 15-18.

5. Fermentação:

fermentação

Com a duração entre 14 e 24 horas, o processo de fermentação consiste na transformação do açúcar em álcool e gás carbônico por microorganismos. Esta etapa exige bastante atenção, principalmente com relação à sua temperatura, que deve variar entre 28º e 32º. Existem diversos tipos de leveduras que podem ser usadas durante este processo, como as selvagens, CA-11, CANAMAX, etc.

Ao final desse processo, depois de todo açúcar ter sido convertido em álcool, a solução final (vinho) deve estar com uma concentração entre 7 – 9 % de álcool.

6. Destilação:

producao da cachaca

Nesta etapa podem ser usados alambiques de diferentes tamanhos, formatos, materiais e volumes para destilar o vinho da cana. O aquecimento do alambique pode ser feito de forma direta (fogo direto na panela) ou indireta (aquecimento por vapor).

Na destilação de cachaça industrial, a coluna utilizada é de inox. Já na produção artesanal são utilizados alambiques de cobre. De acordo com os especialistas da área, o cobre ajuda a reduzir o teor de compostos sulfurados na cachaça, evitando a presença de odores desagradáveis.

Durante a etapa inteira da destilação em alambique artesanal, são separados a cabeça, coração e cauda, sendo o coração o único ideal para consumo. Os outros dois podem ser reaproveitados em outra atividade do alambique, ou descartados.

7. Armazenamento e Envelhecimento:

barril

A cachaça ideal para consumo deve ser armazenada e envelhecida por, pelo menos, seis meses,  em dornas de inox, barris de madeira ou até mesmo recipientes de vidro. O que conta é que o recipiente deve estar devidamente limpo para que não haja risco de contaminação. Algumas das madeiras mais usadas são: carvalho, amburana, bálsamo, garapeira, freijó, jequitibá, jatobá, castanheira, etc.

8. Engarrafamento:

garrafa

Após a etapa de armazenamento e envelhecimento, a cachaça será diluída e padronizada para, então, ser engarrafada.

Vale lembrar que, para seu produto ser chamado de “cachaça”, ele deve ter o teor alcoólico entre 38º e 48º.

O processo de engarrafamento pode ser manual, ou mecanizado.

E aí, leitor? Viu como o processo não é um bicho de sete cabeças? Pode falar: deu vontade de partir para a produção de cachaça, não é? Bom, sem mais delongas, segue abaixo o vídeo que prometemos no começo desta publicação:

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

você pode usar essas tags e atributos HTML:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>